O domínio do tradicional rádio AM/FM no consumo de áudio da população dos Estados Unidos

O estudo trimestral “Share of Ear” da Edison Research representa uma ferramenta fundamental para compreender o panorama dinâmico do consumo de áudio nos Estados Unidos. Realizado regularmente, esse estudo oferece uma visão abrangente das preferências e comportamentos dos consumidores em relação às diferentes formas de mídia auditiva, proporcionando insights valiosos tanto para anunciantes quanto para profissionais de mídia.

No relatório do primeiro trimestre de 2024, os dados revelam insights significativos sobre o rádio AM/FM e os podcasts, destacando seu papel crucial no mercado publicitário americano. O rádio AM/FM continua a ser uma força dominante, alcançando uma ampla parcela da população diariamente. Com uma participação de 63%, esse meio tradicional demonstra uma resiliência notável, especialmente considerando a proliferação de plataformas digitais.

A análise também sublinha a ascensão dos podcasts como uma plataforma de áudio cada vez mais popular. Representando uma fatia significativa do tempo de escuta, os podcasts não apenas capturaram a atenção dos consumidores, mas também se mostraram eficazes em engajar públicos diversificados, incluindo segmentos específicos como Independentes e Democratas nos EUA.

O impacto dessas descobertas no cenário de mídia é profundo. Para anunciantes, compreender a penetração e o engajamento do rádio AM/FM e dos podcasts é essencial para desenvolver estratégias eficazes de marketing de áudio. Enquanto o rádio AM/FM mantém sua presença robusta, especialmente no ambiente automotivo e durante as atividades diárias dos consumidores, os podcasts oferecem uma oportunidade única de alcance e segmentação, permitindo que as marcas se conectem de forma mais direta com públicos específicos.

Em suma, o estudo “Share of Ear” não apenas quantifica o consumo de áudio nos EUA, mas também contextualiza a relevância contínua do rádio AM/FM e o crescimento dos podcasts em um ambiente cada vez mais digitalizado. Essas plataformas não apenas competem com as novas formas de mídia, mas também complementam-nas, oferecendo um conjunto diversificado de opções para profissionais de mídia explorarem e otimizarem suas estratégias de alcance e engajamento com o público-alvo.

Podcasts: Crescimento e engajamento

Os podcasts estão emergindo como um player poderoso no cenário de áudio suportado por anúncios nos Estados Unidos. Representando 20% do tempo total de escuta nesse formato, eles demonstram um crescimento substancial e uma aceitação cada vez maior entre os consumidores. Esse aumento na popularidade é especialmente evidente entre os ouvintes Independentes e Democratas, indicando um interesse diversificado por conteúdos sob demanda e segmentados.

A ascensão dos podcasts como uma forma popular de consumo de mídia reflete mudanças significativas nos hábitos de consumo de áudio. Diferentemente da rádio tradicional, os podcasts oferecem uma variedade de conteúdos que podem ser acessados a qualquer momento, o que os torna particularmente atraentes para aqueles que preferem escolher quando e como desejam consumir informações e entretenimento.

Os Independentes e Democratas, mencionados especificamente no estudo, são grupos que valorizam a diversidade de opiniões e a profundidade dos conteúdos oferecidos pelos podcasts. Esse interesse por conteúdos segmentados pode ser atribuído à natureza muitas vezes especializada e detalhada dos podcasts, que abordam uma ampla gama de temas, desde política e cultura até história e tecnologia.

Além disso, a popularidade crescente dos podcasts é impulsionada pela conveniência e acessibilidade oferecidas pelas plataformas de streaming e download. Com a possibilidade de ouvir episódios durante deslocamentos, atividades domésticas ou momentos de lazer, os podcasts se integraram de maneira significativa à rotina diária dos consumidores modernos.

Para os anunciantes, esse crescimento dos podcasts representa uma oportunidade estratégica. A capacidade de segmentar públicos específicos com base em interesses e preferências torna os podcasts um canal ideal para campanhas publicitárias direcionadas e eficazes. Isso permite que as marcas não apenas alcancem seus públicos-alvo com maior precisão, mas também construam um engajamento mais profundo e duradouro através de conteúdos que ressoem com seus valores e interesses.

Em resumo, os podcasts não apenas estão transformando o panorama do consumo de áudio suportado por anúncios, mas também estão moldando a maneira como os consumidores interagem com o conteúdo digital. Com um crescimento contínuo e um público diversificado, os podcasts são um componente essencial no ecossistema de mídia contemporâneo, oferecendo novas oportunidades para criar conexões significativas com os ouvintes em um mercado cada vez mais fragmentado e diversificado.

Comparação com plataformas digitais

Em contraste com o domínio do rádio AM/FM e dos podcasts, as plataformas digitais de streaming de áudio, embora tenham uma presença significativa, enfrentam desafios para alcançar a mesma amplitude de público nos Estados Unidos. Por exemplo, o app que é um dos líderes globais em streaming de música e podcasts, atinge apenas 7% da população diariamente quando considerado individualmente. Esse número destaca a penetração limitada das plataformas digitais em comparação com o alcance massivo do rádio tradicional.

No entanto, quando combinado com outros serviços digitais, o alcance total de áudio digital suportado por anúncios aumenta para 31%. Apesar desse aumento quando agregados, ainda fica claro que o rádio AM/FM mantém uma posição dominante, alcançando uma porcentagem significativamente maior da população diariamente.

A diferença de alcance entre rádio AM/FM e plataformas digitais pode ser atribuída a vários fatores. Primeiramente, o rádio AM/FM tem uma longa história de ser um meio acessível e amplamente disponível, especialmente em contextos como o ambiente automotivo, onde muitos americanos passam uma parte significativa do tempo. Além disso, a familiaridade e conveniência do rádio tradicional, combinadas com a facilidade de sintonização e a gratuidade, continuam a atrair uma base de ouvintes estável.

Por outro lado, as plataformas digitais oferecem vantagens como a personalização de playlists e recomendações algoritmicamente geradas, o que atrai especialmente os consumidores mais jovens e tecnicamente proficientes. No entanto, a fragmentação do mercado digital e a necessidade de conexão à internet para o streaming contínuo podem limitar o acesso universal que o rádio AM/FM tradicional oferece.

Para os profissionais de marketing e anunciantes, entender essa dinâmica é crucial para desenvolver estratégias eficazes de alcance de público. Enquanto o rádio AM/FM oferece uma ampla cobertura e um alcance massivo, as plataformas digitais proporcionam oportunidades únicas de segmentação e engajamento mais personalizado. A combinação inteligente desses meios pode maximizar o impacto das campanhas publicitárias, alcançando uma audiência diversificada e engajada em diferentes plataformas de consumo de áudio.

Em suma, apesar do crescimento das plataformas digitais, o rádio AM/FM continua a ser uma força dominante no consumo de áudio nos EUA, enquanto as plataformas digitais representam um segmento em ascensão, oferecendo novas formas de interação e personalização para os ouvintes e anunciantes.

Impacto para anunciantes

Para os anunciantes, os dados apresentados sobre o rádio AM/FM têm implicações cruciais que devem ser cuidadosamente consideradas ao desenvolver estratégias de mídia de áudio nos Estados Unidos. Com 59% das pessoas ouvindo exclusivamente rádio AM/FM, esta plataforma se destaca como uma escolha estratégica para alcançar um público amplo e diversificado.

Primeiramente, a amplitude de cobertura do rádio AM/FM é impressionante. Com uma porcentagem tão significativa da população americana sintonizando regularmente, é evidente que este meio continua a desempenhar um papel central na vida cotidiana de muitos consumidores. Especialmente no ambiente automotivo e durante atividades diárias, o rádio AM/FM oferece uma conexão direta e imediata com uma audiência massiva, proporcionando aos anunciantes uma plataforma confiável para transmitir suas mensagens.

Além da vasta cobertura, o rádio AM/FM também é valorizado por sua capacidade de alcançar públicos diversos. Desde jovens ouvintes até a geração mais velha, o rádio tradicional atrai uma ampla gama de demografias e perfis de consumidores. Isso significa que os anunciantes têm a oportunidade de segmentar suas campanhas de maneira eficaz, adaptando suas mensagens para atender às preferências e interesses específicos de diferentes grupos demográficos.

Em contraste com as plataformas digitais, o rádio AM/FM oferece uma experiência de audição mais passiva, onde os ouvintes podem ser alcançados enquanto estão envolvidos em outras atividades. Essa natureza multitarefa do consumo de rádio proporciona uma janela única para os anunciantes capturarem a atenção de seu público-alvo em momentos variados do dia, seja durante o trajeto para o trabalho, atividades domésticas ou lazer.

Para os profissionais de marketing, negligenciar o rádio AM/FM em um plano de mídia de áudio pode resultar na perda de acesso a uma parte substancial da audiência americana. A confiança contínua no rádio tradicional como um meio confiável e eficaz para alcançar consumidores é respaldada não apenas pela sua longa história, mas também pela sua capacidade comprovada de influenciar o comportamento de compra e construir reconhecimento de marca.

Portanto, ao desenvolver estratégias de marketing de áudio, é essencial considerar o rádio AM/FM como parte integrante do mix de mídia. Com seu alcance massivo, capacidade de segmentação e impacto duradouro, o rádio tradicional continua a oferecer oportunidades significativas para os anunciantes alcançarem seus objetivos de marketing de maneira eficaz e eficiente no dinâmico cenário de mídia contemporâneo.


O estudo “Share of Ear” da Edison Research destaca duas tendências principais no mercado de áudio dos Estados Unidos: a resiliência contínua do rádio AM/FM e o crescimento significativo dos podcasts. Esses formatos não apenas dominam o tempo de escuta dos consumidores, mas também oferecem oportunidades robustas para campanhas publicitárias segmentadas e eficazes.

O rádio AM/FM mantém sua posição como um pilar central no consumo de áudio americano, alcançando dois terços da população diariamente. Esse meio tradicional continua a ser uma escolha popular, especialmente no ambiente automotivo e durante as atividades diárias, proporcionando um alcance massivo e uma conexão direta com os ouvintes em momentos chave do dia.

Por outro lado, os podcasts emergiram como uma alternativa dinâmica e crescente no cenário de áudio suportado por anúncios. Representando 20% do tempo total de escuta, os podcasts atraem uma audiência diversificada, incluindo segmentos como os Independentes e Democratas nos EUA. Essa popularidade crescente é impulsionada pela natureza sob demanda e pela capacidade de explorar uma variedade de temas e interesses específicos.

Para os profissionais de marketing, compreender essas dinâmicas é crucial. Investir no rádio AM/FM e nos podcasts não só alcança uma ampla maioria dos ouvintes americanos, mas também permite um engajamento profundo e duradouro com o público-alvo. A combinação desses formatos no mix de mídia pode maximizar o impacto das estratégias de marketing, atingindo diferentes segmentos demográficos de maneira eficaz e eficiente.

Em suma, o rádio AM/FM e os podcasts se consolidam como pilares essenciais no panorama atual de mídia de áudio nos Estados Unidos, oferecendo não apenas alcance significativo, mas também oportunidades significativas para criar conexões autênticas e duradouras com os consumidores. Com um mercado cada vez mais fragmentado e digitalmente diversificado, adaptar estratégias para aproveitar o poder desses formatos é essencial para alcançar sucesso e relevância no espaço de mídia contemporâneo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *